Arte

"(...) Seria perfeito se não fosse profano

O corpo, o gosto, o gesto...

É templo da incerteza em minha vida

Que venera as formas sinuosas do teu corpo

Os montes, os vales, as selvas...

Cada pedacinho esculpido com fiel delicadeza

Uma representação realista do meu desejo

A arte em sua mais perfeita forma..."


....


E não satisfeito pelo feito, acrescentou-lhe no lugar dos olhos espelhos, daqueles que refletem os anseios de uma alma sedenta por mover-se fora daquela escultura.

Moldou o corpo, os olhos... Deu-lhe alma e anseios, mas esqueceu de dar-lhe vida.

A queria em uma moldura.


Por Henrique Nogueira

0 Já Comentaram: