É isso... e que venha 2011!

É preciso agradecer pelo que se aprendeu, por aqueles amigos que você fez e pelas amizades que fortaleceu. Agradecer também pela namorada que você arrumou e que já te atura há sete meses.

É preciso agradecer por existirem pessoas que pensam como você e dão crédito àquelas besteiras que você escreve no twitter e nesse blog.

Existem também aqueles que te acompanham nas aventuras e empreitadas fotográficas e ‘herpetológicas’ da vida, a essas pessoas, muito obrigado!

Agradeço a todos que fizeram do meu 2010 um ano mais agradável. Todos vocês foram inacreditavelmente fodásticos.

No final das contas a gente reclama da vida por puro comodismo.

Eu tenho uma vida ‘do caralho’, e devo tudo isso a todos vocês que sempre estão ao meu lado.

Um agradecimento especial a minha família, principalmente a minha mãe e irmão! Vocês são incomparáveis.

E que 2011 seja inúmeras vezes mais fodástico e produtivo que 2010!

Façamos valer acontecer!


#2011euacredito

Morre Lentamente - Pablo Neruda

.. look at the sun!

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não arrisca a vestir uma cor nova, quem não fala com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro ao invés do claro e os pingos nos "is" a um redemoinho de emoções, exatamente a que resgata o brilho nos olhos, o sorrisos nos lábios e o corações aos tropeços.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho.

Morre lentamente quem não se permite pelo menos uma vez na vida, ouvir conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, nunca pergunta sobre um assunto que desconhece e nem responde quando lhe perguntam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em suaves porções, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples ar que respiramos.

Somente com a infinita paciência conseguiremos a verdadeira felicidade.


Arte

"(...) Seria perfeito se não fosse profano

O corpo, o gosto, o gesto...

É templo da incerteza em minha vida

Que venera as formas sinuosas do teu corpo

Os montes, os vales, as selvas...

Cada pedacinho esculpido com fiel delicadeza

Uma representação realista do meu desejo

A arte em sua mais perfeita forma..."


....


E não satisfeito pelo feito, acrescentou-lhe no lugar dos olhos espelhos, daqueles que refletem os anseios de uma alma sedenta por mover-se fora daquela escultura.

Moldou o corpo, os olhos... Deu-lhe alma e anseios, mas esqueceu de dar-lhe vida.

A queria em uma moldura.


Por Henrique Nogueira

Faça valer a pena!

Sinta-se seguro de si mesmo! Os seus atos são única e exclusivamente responsabilidade sua.

Não se preocupe com rótulos, notas ou valores atribuídos a você. Não se preocupe com o que os outros vão falar.

Seja o dono do seu próprio destino. Enfrente cada desafio em seu devido tempo, mas nunca deixe de enfrentá-los.

O importante é ter seus objetivos claramente traçados.Quanto ao caminho que o levará até eles: não deixe que seja comum e monótono. Busque novas rotas, alternativas. Dê crédito a aquelas idéias que pareciam perda de tempo.

Não se deixe levar pelos comentários alheios.

Tenha em mente seus objetivos e os siga!

Faça de cada dia uma nova aventura! Não sinta medo de mudar. Arrisque.

Quem se acomoda se atrofia!

Não se limite a viver em um aquário, vislumbre todo o oceano.

Sinta-se realizado a cada nova conquista, por mais insignificante que essa possa parecer aos olhos do mundo. Alegre-se com as coisas simples da vida!

Procure viver bem, procure ser feliz, procure fazer o bem... E aproveite ao máximo o tempo que você tem!



Em 2011, faça valer à pena!


Por Henrique Nogueira


Poderia escrever tanta coisa agora... Coração na mão, posso vê-lo bater.

Estou tremendo tanto que mal consigo beber meu copo com água.
Cabeça a mil, coração parando.

Por Henrique Nogueira

Todo ano a gente é conduzido por caminhos totalmente diferentes, enfrenta situações e problemas totalmente diferentes, e é o que a gente faz diante de todas essas 'desventuras' que define se estamos aptos a continuar ou não.


Por Henrique Nogueira

Incondicional

"(...)Toda história de amor e uma cerimônia de adeus."

Porque que não nós apaixonamos todo os meses de novo?
Porque por altura de cada separação uma parte de nossos corações fica desfeita.
Assim, nos esforçamos mais para evitar o sofrimento do que na busca do prazer.

Eu sempre achei que o amor, que o grande amor, fosse incondicional.
Que quando houvesse um grande encontro entre duas pessoas tudo pudesse acontecer, porque se aquele fosse o grande amor ele sempre voltaria triunfal.

Mas nem todo amor é incondicional.

Acreditar na eternidade do amor é precipitar o seu fim.
Porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro, você acaba fazendo esse amor passar por tudo.

Um grande amor não é possível.
E talvez por isso é que seja grande, para que nele caiba o impossível.



Afinal o que querem as mulheres, episódio 05.

Por hora...

Onde estão as intempéries que movem as engrenagens da minha imaginação?

Cabeça fria olhando ao longe. Céu limpo.

Algumas poucas nuvens de insegurança se apresentam... Nem chegam a incomodar, logo são sopradas para além do horizonte.

Retiro os meus sapatos. Prefiro sentir o chão sob os meus pés, mas nem assim consigo organizar os pensamentos.

Sinto falta dos versos desajeitados e do coração na mão... Trôpego, mas certeiro.


Por Henrique Nogueira

O amanhã

Coca

Durante a madrugada meu cérebro ferve.

Grilos, cães, vozes.. tiros e mais um milhão de coisas.

( CONCENTRAÇÃO )

Grudo os olhos no 'PC'.
... HTMLs, HTTPs, <> [ /i ]
Códigos, códigos e mais códigos...
Código pra isso, código praquilo... Esquece.

- Ta pedindo senha! E agora?
- O login ta certo? (tá) .. Tem certeza? (ha... espera)

respira, pensa...

-Lembrei! falta validar o cadastro! Só pode ser isso..

[EMAIL] - [CAIXA DE SPAM]

- Chega, desisto! Cadê meus biscoitos com coca-cola?

(O relógio marca 03:21 da manhã)

"... a coca cola não vai te deixar dormir... e amanhã é segunda feira!"

- Ah, que se dane!

Coca-cola ... C - O - C - A cola

Neurônios a mil, cérebro fervendo... - QUERO PARAR!

(Agora é tarde demais... no relógio ja passam das 5h da manhã)

Por Henrique Nogueira

Vermelho!

... é vermelha a cor da pele.

Rubor, fervor... calor latente...
Vapor d'água embaçando o espelho.

... sangue... suor... o sal da pele.. e o chão da sala
Dedos perdidos, mãos perdidas...
marcas espalhadas pelo corpo
tatuagem rubra no meio da coxa

sussurros... risos... exaustão!

é vermelha a cor dos olhos.. a cor do sangue... a cor da pele que transpira.
é vermelha a cor dos corpos estendidos pelo chão.

Por Henrique Nogueira

O Mistério do Planeta.




Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso,
Jogando meu corpo no mundo,
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros
Eu deixo e recebo um tanto
E passo aos olhos nus
Ou vestidos de lunetas,
Passado, presente,
Participo sendo o mistério do planeta
O tríplice mistério do "stop"
Que eu passo por e sendo ele
No que fica em cada um,
No que sigo o meu caminho
E no ar que fez e assistiu
Abra um parênteses, não esqueça
Que independente disso
Eu não passo de um malandro,
De um moleque do brasil
Que peço e dou esmolas,
Mas ando e penso sempre com mais de um,
Por isso ninguém vê minha sacola

Tudo em um 'click' ...



Um bom fotógrafo, por mais amador que seja, é aquele que consegue expressar seus estados de espírito em uma fotografia, transmitir seus pensamentos e ideais em um "click".
(Por Henrique Nogueira)

Menos - Porcas Borboletas

Eu sei
Eu sei que não era pra eu ser assim
que eu devia tomar as doses nas horas certas
Eu sei que eu devia dormir boas noites de sono
e que eu devia fumar menos
escovar os dentes com pastas pra gengivas sensíveis
e perambular menos na rua quando todo mundo já foi
e não me jogar tanto quando alguém me abre os braços
e beber menos
e amar menos
eu devia parar


e pensar menos
eu sei que eu devia pensar menos
e falar menos
eu sei que eu devia falar menos
pra viver mais
eu sei que eu devia viver menos
mas eu não sei viver menos

Cabeça, objeto pensante.

Cabeça, objeto pensante

Objeto criado para gerar dor

Dores de cabeça

Dores incessantes

Intensas agulhadas perturbando uma mente

Mente que não mente

Que insiste em dizer a verdade

Verdade que perturba

Que faz girar a cabeça

A mesma cabeça que insiste em pensar

Cabeça, objeto pensante


Por Henrique Nogueira

Analyse

Quando percebe já é tarde demais...

O homem se vê perdido no mais profundo sentimento de tédio!
Olheiras, braços apoiados sobre a mesa, pensamento vago... Inquietação!
‘Onde estão todas aquelas promessas?’, pensa ele, e a resposta vem logo em seguida: ‘As promessas estão de férias, foram procurar outras pessoas...’


Por Henrique Nogueira

Um homem precisa viajar

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.


(Amir Klink)

Duas Tribos

Vicie-se também!

Vicie o ar ao seu redor...

Mova-se com cautela, mas ao menos se dê ao trabalho de mover-se.
Seja atento, esteja atento!

Não desperdice sonhos, mas perda-se em seus pensamentos...

"Chegou a hora, e o agora é aqui!"

Por Henrique Nogueira

Descrição

Nome: Henrique Nogueira

Idade: 22 anos

Ocupação: Faculdade; Música; Fotografia; Namorada; Blog; e mais algumas outras coisas.

Categoria: Super Enrolado

Soul Parsifal - Legião Urbano

Ninguém vai me dizer o que senti
Meu coração está desperto
É sereno nosso amor e santo este lugar
Dos tempos de tristeza tive o tanto que era bom
Eu tive o teu veneno
E o sopro leve do luar

Porque foi calma a tempestade
E tua lembrança, a estrela a me guiar
Da alfazema fiz um bordado
Vem, meu amor, é hora de acordar

Tenho anis
Tenho hortelã
Tenho um cesto de flores
Eu tenho um jardim e uma canção
Vivo feliz, tenho amor
Eu tenho um desejo e um coração
Tenho coragem e sei quem eu sou

Eu tenho um segredo e uma oração
Vê que a minha força é quase santa
Como foi santo o meu penar
Pecado é provocar desejo
E depois renunciar

Estive cansado
Meu orgulho me deixou cansado
Meu egoísmo me deixou cansado
Minha vaidade me deixou cansado
Não falo pelos outros
Só falo por mim
Ninguém vai me dizer o que senti

Tenho jasmim tenho hortelã
Eu tenho um anjo, eu tenho uma irmã
Com a saudade teci uma prece
E preparei erva-cidreira no café da manhã
Ninguém vai me dizer o que senti
E eu vou cantar uma canção p'rá mim


_________________________________

Pra resumir um pouco meu estado de espírito de hoje!

Ok!

.. não adianta ficar forçando a barra, no momento certo, com a inspiração certa, seu texto comemorativo vai surgir!

O velho e o moço

Parte 01 - O Velho

Eu deixo tudo isso assim... Não me importo mais com as rugas no meu rosto e os tremores em minhas mãos. Não tenho mais força pra me impor, meus pensamentos agora são só meus. O que me conforta são meus ‘velhos’ prazeres, meus velhos pertences... Uma caixa de LP’s guardada no porão da casa... Um chinelo velho e um suéter bordado pela minha falecida esposa... E eu gosto delas como são. Velhas. Gastas.

Imagino o quanto deve ser monótono cuidar de alguém como eu, velho, chato e rabugento, cabeça dura o bastante pra não entender que os remédios são pra ser tomados regularmente a cada 12 horas, e não a cada quatro dias.

Lembro que gostava bastante de filmes quando era jovem, mas de uns tempos pra cá eles foram perdendo a graça. Há alguns dias meu neto estava me contando a história de um desses filmes... “Então ele descobre que lendo as anotações consegue voltar ao passado... e fica tentando concertar os erros dele.”

Por um instante eu pensei nessa possibilidade, e nas coisas que eu mudaria caso isso fosse possível, mas logo percebi que não adiantaria muita coisa, “O que está feito, está feito”, e isso tudo me faz ser do jeito que eu sou hoje. Os meus erros, os meus acertos, tudo isso faz parte de mim. Mudar qualquer coisa acabaria me mudando, e eu deixaria de ser ‘eu’.

___________________________________

Baseado na música de 'Rodrigo Amarante', 'O Velho e o Moço'.


Por Henrique Nogueira

Repetitivo

Sentiu-se velho... Coluna dolorida, joelho dolorido, ombros pesados, pensamentos mais pesados ainda.

Estava calmo, um bom moço. Cabelo cortado, barba feita... Deixou o ar de rebeldia pra trás, e queria que todas aquelas ‘constantes’ também tivessem ficado pra trás.

Mas os elementos que compõem sua história são repetitivos. As situações podem até ser diferentes, mas os finais são sempre os mesmos... E isso cansa.

"Expectativas x Realidade" - Vide '(500) Days Of Summer'


Por Henrique Nogueira

27.06

"Sou um animal sentimental, me apego facilmente ao que desperta o meu desejo."

(Ela diz) - Mas é fácil 'despertar desejo', qualquer um pode fazer isso!

Digo, porém, que 'desejo despertado' não é mais suficiente, pois agora o meu 'apego' é todo teu. Me apego cada vez mais ao desejo que só você desperta em mim.

Por Henrique Nogueira

Frio e Sem Graça.

Ele entra em um ônibus sem ter destino algum, apenas pra passar o tempo na esperança de que algo de interessante aconteça... Resolve descer em uma rua qualquer.

Caminha sem reparar em muitas coisas. Imagina situações. Fantasia as várias possibilidades em sua mente.

O dia realmente não tinha começado muito bem, nada do que ele havia planejado aconteceu, e esse era o motivo pra ‘todo esse caminha sem rumo’.

Decide voltar pra casa.

Vê um pouco de TV.

Aquilo tudo só o deixa mais irritado e inquieto. Sai de casa mais uma vez, e mais uma vez volta sem ter nada de novo.

É assim que as coisas realmente são. Monótonas. Frias. Iguais.

Praquele jovem os heróis não vieram salvar o dia, e ele não conheceu ‘seu verdadeiro amor numa cafeteria antiga’.

Volta pra casa... Assiste TV. Frio e sem graça, ele envelhece.


Por Henrique Nogueira

18:49

Queria não ter tantas dúvidas, perturbações, momentos de suprema indecisão...

Queria ser mais reto, constante, poder definir as coisas com clareza e certeza, não deixar espaço pra erros...


Por Henrique Nogueira

Invisivelmente

"Sem a música a vida seria um erro!" (Nietzsche)

A música ocupa um espaço bastante importante em minha vida, e sempre estou a procura de coisas novas... sons novos, músicas novas, bandas novas...

Nessa constante procura, acabei topando com uma banda chamada 'Aerocirco', e ouvi uma música chamada "A mão e o coração", da qual já comentei nesse blog.

Hoje estou aqui pra reafirmar o meu gosto pelo som dessa banda, e falar do seu novo trabalho, o 'Invisivelmente', CD que está pra ser lançado daqui a algumas horas.

'Invisivelmente' começa com um single marcante, que leva o mesmo nome do disco, e daquilo que somos capazes de superar na busca de nossos sonhos.

Na verdade o disco todo trata de temas assim.. sonhos, conquistas, futuro...

"Minha metade é vontade
A outra é querer mudar
Como se eu fosse o único
Correndo mais que o mais rápido
Sendo maior que o máximo
Invisivelmente"
(Fábio Della - Aerocirco - Invisivelmente)



Se interessou? Então corre pro site, porque daqui a pouco o CD sai, e o download é gratuito!

.. palavras soltas.


Sob a luz azul de um televisor
eu curo suas dores e acabo com o seu tédio
distraio, entreto, consumo.. devoro
faço meu o teu prazer, tua a minha paixão...

Por Henrique Nogueira

.. dias de paz.

Minhas perturbações interiores guiam minha escrita, dão rumo aos meus textos... Descontentamentos, inquietações, desafetos... Tudo isso se reflete em cada palavra que escrevo.

É mais fácil escrever quando não se está satisfeito com alguma coisa, nossa entrega é plena e sincera.

Em tempos de ‘paz e calmaria’, raramente temos textos interessantes, afinal não temos por que ficar ocupando o tempo com pensamentos e mais pensamentos, em busca da resolução de alguns problemas.

Em momentos de calmaria pensamos menos, nos inquietamos menos, e por conseqüência escrevemos menos... Mas isso é bom!


Os dias agora são menos quentes... com poucas palavras de atenção.


Por Henrique Nogueira

31 de Maio

Interessante o jeito que as coisas acontecem... quando você menos espera, sua vida da uma guinada, e tudo toma rumos totalmente inesperados e empolgantes...


Por Henrique Nogueira

Verdades sobre a Vida

1ª Verdade

Deus não dá asas a cobra;

2ª Verdade

O problema do mundo é a má alimentação;

3ª Verdade

Pra quem não tem nada, metade é dobro;


4ª Verdade

O sol é para todos, mas a sombra para poucos;

5ª Verdade

De que vale um tanquinho, se a torneirinha não funciona;

6ª Verdade

Pecado é não viver;


7ª Verdade

Melhor amanhecer arrependido do que amanhecer na vontade;

8ª Verdade

Estudar é pros fracos, os fortes inventam sua própria teoria;

9ª Verdade

Se não for ruim, não sou eu;

10ª Verdade

Papagaio que acompanha joão de barro, vira ajudante de pedreiro (Ana Carolina e Seu Jorge);

11ª Verdade

A ignorância é uma virtude.


Autora: Júlia Reder

Postado Originalmente pelo Alanândia

Cigarro - Zeca Baleiro

A solidão é meu cigarro
Não sei de nada e não sou de ninguém
Eu entro no meu carro e corro
Corro demais só pra te ver, meu bem

Um vinho, um travo amargo e morro
Eu sigo só porque é o que me convém
Minha canção é meu socorro
Se o mar virar sertão, o que é que tem?

Dias vão, dias vêm, uns em vão, outros nem
Quem saberá a cura do meu coração se não eu?
Não creio em santos e poetas
Perguntei tanto e ninguém nunca respondeu
Melhor é dar razão a quem perdoa
Melhor é dar perdão a quem perdeu

O amor é pedra no abismo
A meio-passo entre o mal e o bem
Com meus botões à noite cismo
Pra que os trilhos, se não passa o trem?

Os mortos sabem mais que os vivos
Sabem o gosto que a morte tem
Pra rir tem todos os motivos
Os seus segredos vão contar a quem?

Dias vão, dias vêm, uns em vão, outros nem
Quem saberá a cura do meu coração se não eu?
Não creio em santos e poetas
Perguntei tanto e ninguém nunca respondeu
Melhor é dar razão a quem perdoa
Melhor é dar perdão a quem perdeu

Não creio em santos e poetas
Perguntei tanto e ninguém nunca respondeu
Melhor é dar razão a quem perdoa
Melhor é dar perdão a quem perdeu


(Cigarro - Zeca Baleiro)

Se fosse assim, simples, seria normal ver tal cena repetida inúmeras vezes pelas calçadas, bares e restaurantes... Sem aquelas irritantes olhadas cortantes, que parecem estar rasgando a alma dos jovens.


Por Henrique Nogueira

09:29

O dia se esvai com um lamento solitário

Um corpo deitado na grama, olhos fechados, aproveitando a sombra de uma árvore.

Era simples, belo e inquietante.

Tanta paz, tanta leveza. A brisa. As flores.

Ah... A brisa.


Por Henrique Nogueira

Biodiversidade - ILPC

Biodiversity 2010 from iLCP on Vimeo.

O que é Biodiversidade?

... Humanos, anfíbios, plantas, mamíferos, peixes, répteis, árvores, pássaros, insetos, invertebrados... Todos nós!

Biodiversidade é o elo que nos une.

O ar que respiramos.

A água que nós bebemos.

Medicina.

A comida que nos sustenta.

E nossos valores culturais.

E mais: esse ele não pode ser quebrado!

Por quê?

... Pobreza, perda de habitat, desigualdade.. Extinção!

Quanto já foi perdido?

E quanto ainda vamos perder?

... Podemos nos dar ao luxo de perder?

A história ainda não acabou...

O próximo capítulo depende de você!

Velhas lembranças...

Eu costumava guardar objetos que representassem pessoas, dias, sentimentos... pra que um dia eu pudesse olhar para eles e lembrar das coisas boas da vida. Ficava tudo guardado numa caixinha amarela (meio alaranjada).


De uns tempos pra cá eu fui ficando sem espaço pra essas 'lembranças', não só na caixinha, mas também na minha cabeça. Precisava esvaziar um pouco. E foi isso que eu fiz.

Dei fim as velhas lembranças, coisas que hoje em dia não tem mais significado...

O tempo passa e as pessoas mudam.. as coisas mudam...

Agora eu tenho um "HD" mais limpinho!

Por Henrique Nogueira

(...)

.. por hora, vou guardar essa minha vontade de falar mal de algumas pessoas (comentar os fatos da vida), e me divertir um pouquinho só observando tudo!


Por Henrique Nogueira

Rumo ao Sol!

Ele levanta pela terceira vez. Caminha em direção ao Sol. A garota ao seu lado diz “vai primeiro!”, e ele, sem pensar duas vezes, se joga na imensidão do Dia, na incerteza das horas que passam velozes, em meio aos segundos que mais parecem facas cortando a sua pele, transformando cada ferida em um novo desafio.

Ele levanta. Caminha em direção ao Sol!


(C. Henrique de O. Nogueira)

Pedacinho de céu.

Pedacinho de céu caído na grama... Um azul profundo, cheio de nuvens. Era um céu nublado, chuvoso, choroso...
Alaga o gramado com tanta água... Ou seriam lágrimas?
Não desaba, pois já está no chão, apenas esvai-se... Perde todo o seu conteúdo. Água e sais. Sim, são lágrimas.

Eu fico ali, parado, observando. Apenas espero enquanto o pequeno pedaço de céu retoma a cor, um azul claro, e volta ao seu lugar. Sem nuvens... Sem lágrimas... Apenas céu... Apenas seu... Apenas seu céu azul e limpo.


(C. Henrique de O. Nogueira)

Flickr!

Apenas o Fim


"- .. Eu-não-assistiria.
- Ah.. porque?
- Não sei...
- Seria um jeito de você lembrar de mim pra sempre!
- .. eu não preciso de lembretes se você nunca sai de perto...
- .. mas eu posso sair um dia..."


__________________________

Hoje vamos falar de filme, e o escolhido da vez é "Apenas o Fim". Filme de 2008, totalmente feito por universitários da PUC-Rio.

Foi meio por acaso que encontrei esse filme enquanto vagava pela internet procurando dicas de filmes para o feriadão. Achei o título interessante, e como eu tava mesmo querendo ver alguma coisa nacional.. arrisquei.

E digo: Não me arrependi!

__________________________


Adriana (Érika Mader) é uma estudante universitária que cansa de sua vida e quer simplesmente ir embora. Mas, antes disso, ela deve terminar seu namoro com o também estudante Antonio (Gregório Duviver), e ambos têm uma hora para conversar. A grande sacada desse filme está na linha de diálogo entre os personagens, repleto de excelentes tiradas e inúmeras referências à cultura pop.

__________________________

PS: Se por acaso você for fã de "The Big Bang Theory"... assista!

Frágil, fútil e desconcertado.

O que eu sinto quando estou cara a cara com um animal selvagem é quase que inexplicável, um sentimento que transcende os meus medos e anseios.
Sinto-me frágil diante de toda imponência de alguns, fútil diante de toda a aparente tranqüilidade de outros, e desconcertado ao perceber que temos tanto deles em nós, e eles têm tão pouco de nós dentro de si.
Hoje sei por que escolhi seguir essa carreira... Não pelos rótulos, não pelo ‘status’... E sim para devolver ao mundo um pouco de tudo que ele já me deu.
O meu curso, a minha formação... Isso tudo são apenas ferramentas, caminhos.
Para os animais nada disso importa.
Somos todos iguais, ínfimos, frágeis criaturas presas a uma sociedade minguante.

(C. Henrique de O. Nogueira)

O pálido ponto azul

Por várias vezes eu tentei escrever alguma coisa hoje... visto que não sairia nada produtivo dessa minha cabeça, parei pra lembrar de alguns videos que eu havia postado em 2008, e "O Pálido ponto azul" era um deles.

Vídeo bastante interessante, que faz valer a pena cada segundo!

Assistam e aproveitem!



"As nossas exageradas atitudes, a nossa suposta auto-importância, a ilusão de termos qualquer posição de privilégio no Universo, são raptadas por este pontinho de luz frouxa. O nosso planeta é um grão solitário na grande e envolvente escuridão cósmica. Na nossa obscuridade, em toda esta vastidão, não há indícios de que vá chegar ajuda de algum lugar para nos salvar de nós próprios."

Estático apático.

Tornar-me-ei parte daquilo que sempre busquei. Um rosto pálido retratado em papel fotográfico, revelado em preto e branco, branco e preto... Tons de cinza.

Cada pixel refletindo a indiferença apática daquela tela. Um quadro estático jogando em um canto... Um canto apático beirando a loucura.


(C. Henrique de O. Nogueira)

Escolhas... escolhas...

Escolha uma faculdade pública. Escolha cuidadosamente um bar e uma república. Escolha viver com cervejas baratas, comida instantânea e suco de saquinho. Escolha cheirar as roupas pra saber se elas estão usáveis. Escolha estudar madrugadas inteiras com os amigos. Escolha não estar em casa para ouvir reclamações da imobiliária. Escolha morar longe dos pais. Escolha se apegar as pessoas mais próximas. Escolha infinitas festas em casas de desconhecidos. Escolha pelo menos uma vez cair de sono em aulas e seminários. Escolha freqüentar aulas estando bêbado. Escolha ligar pedindo dinheiro para os pais. Escolha não ser reprovado em bioética e biossegurança. Escolha fazer todas as coisas que seus pais disseram para não fazer ou escolha seguir os seus conselhos. Escolha amigos para sempre. Escolha voltar às 11h da noite para checar o freezer do laboratório. Escolha dedicar-se. Escolha sempre ser o melhor. Escolha as noites mais baratas que você já teve. Escolha rachar no refrigerante. Escolha começar o fim de semana dois dias antes. Escolha dormir em qualquer lugar. Escolha minuciosamente a empresa de ônibus que cruzará o Rio de janeiro (ou o país) para te levar para casa. Escolha uma vida de sacrifício. Escolha não endurecer. Escolha um novo amor para substituir o que deixou em casa. Escolha aumentar seu nível de tolerância ao álcool. Escolha a melhor fase da sua vida. Escolha tudo ou quase nada. Escolha seu futuro. Escolha ser UNIVERSITÁRIO. Escolha a melhor estadual do país. Escolha levar a vida com estilo. Escolha a Veterinária da UENF.

Amigo - Latuya

Não consigo ficar calado
Quando encontro-me ao seu lado
Verborragicamente falo
Angustiado a essa altura
A lua instiga a loucura
Impiedosa como uma droga
Inconscientemente pergunto
Lo que sientes por mi
Então você se cala
Parecendo não saber
Seu silêncio
Um buraco profundo
E meu mundo
Eu vejo desabar
Quando finalmente me diz
Que de mim você só quer um amigo
Mais eu não quero ser seu amigo
Solamente um amigo
Isso pra mim é castigo
Pra mim é castigo

10 Coisas para (NÃO) se fazer no cyber café!

Velhos refrões, amantes sinceros.

Rotina, planejamento, expectativas. Todas essas coisas limitam você! Por mais que em alguns casos alguma delas seja importante, elas o limitam.

O sujeito está em um lugar em que ele nunca foi, com pessoas que ele nunca viu, fazendo uma coisa que ele nunca fez... Assustado, ele faz algumas tentativas de se enturmar, porém fica notável a diferença daquele ser... Perdido, distraído, deslocado.

De repente ele escuta o seu nome. Alguém grita por ele, ao fundo, discretamente... Após algumas insistentes repetições da cena, ele finalmente reconhece alguém, um grupo de ‘amigas’, igualmente perdidas, deslocadas, mas bastante atentas.

Ok, intervalo então!

O garoto desce do seu ‘palco’, caminha com dificuldade através de um emaranhado de longos cabelos e capas escuras, botas de exército e pulseiras de couro, até finalmente chegar à fonte daquele chamado.

Surpresa, seu coração para, ele se mantém estático por alguns segundos, mas logo retoma os sentidos. “Ah meu deus!”, pensa o garoto, e ele a abraça sem mais delongas.

Era ela! (ELA) ... A violinista de cabelos encaracolados, a garota pela qual ele tinha uma queda imensa, chegando a beirar um abismo.

Não adiantava tentar esconder, aquilo havia o deixado abalado, pois em pouco tempo a garota se foi, e ele teve de voltar pro ‘palco’...

A cabeça estava a mil, ainda era ‘difícil de se entender’... Não houve tempo nem para uma breve conversa... E agora ele tinha que se concentrar de novo, voltar a representar, se enturmar, parecer semelhante dentre tantos diferentes. Foi três vezes mais difícil.

“Velhas paixões são como ‘velhos refrões’ que ecoam em nossa mente e nos fazem querer cantar.”

(C. Henrique de O. Nogueira)


Our hopes and expectations
Black holes and revelations
Our hopes and expectations
Black holes and revelations

Hold you in my Arms
I just wanted to hold
You in my arms

(Starlight – Muse)

Um centésimo de segundo

"Um centésimo de segundo" (One hundredth of a second) é um filme sobre uma fotógrafo de guerra que enfrenta o dilema final da sua profissão. Ela é forçada a se perguntar: se uma pessoa está em perigo mortal, você continuaria fazendo o seu trabalho (fotografando) ou se envolveria para ajudar?

O filme é um lembrete do horror por trás das imagens de guerra que enfrentamos na mídia todos os dias.


"Uma pessoa se torna tão imune a elas, e ainda por trás delas é algo real e verdadeiro, terrível e desumano".


Top 25

Quem me conhece sabe que eu sou viciado em música! Não consigo viver muito tempo sem estar ouvindo ou fazendo música... pois bem...


Tenho vários 'gigas' de músicas no meu computador.. e até hoje não consegui ouvir todas.

Uma coisa que eu faço pra amenizar esse problema é colocar o tocador no modo 'randômico', e sempre acabo me surpreendendo com as coisas que eu tinha e não sabia!

Por conta disso, resolvi ativar o 'contador' do media player e ver quais as foram as músicas mais tocadas nas últimas semanas.

São elas:

01 - Telegrama (Zeca Baleiro)
02 - Difícil de se entender (Evolução da Espécie)
03 - Só pra So (Nando Reis e Os Infernais)
04 - Sei lá (Rafael Barros)
05 - O Herói, O Marginal (Mallu Magalhães)
06 - Bela Flor (Maria Gadú)
07 - Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme (Ápodos)
08 - Amor de Redenção (Orlando)
09 - Here Comes Your Man (Pixies)
10 - Passarinho (Tiê)
11 - Você me faz Continuar (Cachorro Grande)
12 - Magrela Fever (Curumin)
13 - Mergulha e Voa (Móveis Coloniais de Acajú)
14 - Cara a Cara (Superbox)
15 - You Belong to Me (Carla Bruni)
16 - How to Hang a Warhol (Little Joy)
17 - O Jardim do Silêncio (Paulinho Moska)
18 - Quando se Lembrar de Mim (Roberta Campos)
19 - Glória (Violins)
20 - Strawberry Swing (Coldplay)
21 - Come Back (Copacabana Club)
22 - Automático (Fábio Góes)
23 - Passeando (Marcelo Camelo)
24 - O Mais Vendido (Mombojó)
25 - A mão e o coração (Aerocirco)

...

É isso... até que a playlist não é das piores!

Nem fé, nem Santo - Mallu Magalhães

Eu 'tô assim sem fogo
Não quero jogo
nem competição
que o tempo aqui é cego
Não vou ser prego
da televisão

Eu 'tô sem fé nem santo
e peço tanto que me deixem em paz
Que o hoje em dia é quieto
Já quis ser reto
eu não quero mais

Vou caminhando,
vou ver o sol se pôr
eu vou na calmaria
até onde eu não queria
e vou andando
vou vendo o sol e a cor
já canso de apagar
imploro pra poder voar

Caí assim sem vontade
pela metade
eu vivo a esperar
Meu coração tá manso
eu só descanso
e espero passar.

Condenado

"Se não posso pedir perdão, então devo ao menos pedir perdão por já ter pedido.
Mas isso seria então concertar as coisas ou deixá-las duas vezes pior.
Então me calo. Mas não é solução."

De nada caro senhor. Acabo de solucioná-lo. Escreva-o então estará perdoado, pois a culpa assumida, e escrita, é condenação... e no inferno não há melhores nem piores, apenas condenados.

Condenado.

(Rafael Barros | Blog 'A Antipalavra')

Faça valer à pena!

Sinta-se seguro de si mesmo! Os seus atos são única e exclusivamente responsabilidade sua.

Não se preocupe com rótulos, notas ou valores atribuídos a você. Não se preocupe com o que os outros vão falar.

Seja o dono do seu próprio destino. Enfrente cada desafio em seu devido tempo, mas nunca deixe de enfrentá-los.

O importante é ter seus objetivos claramente traçados.Quanto ao caminho que o levará até eles: não deixe que seja comum e monótono. Busque novas rotas, alternativas. Dê crédito a aquelas idéias que pareciam perda de tempo.

Não se deixe levar pelos comentários alheios.

Tenha em mente seus objetivos e os siga!

Faça de cada dia uma nova aventura! Não sinta medo de mudar. Arrisque.

Quem se acomoda se atrofia!

Não se limite a viver em um aquário, vislumbre todo o oceano.

Sinta-se realizado a cada nova conquista, por mais insignificante que essa possa parecer aos olhos do mundo. Alegre-se com as coisas simples da vida!

Procure viver bem, procure ser feliz, procure fazer o bem... E aproveite ao máximo o tempo que você tem!

Faça valer à pena!


(C. Henrique de O. Nogueira)

Sobrenatural - Ludov

Livros, testamentos
Folhas de jornal
A vida é curta, mas não é pouca

Máquina do tempo,
Bola de cristal
Sobrenatural é eu saber que não serei pra sempre assim
Me destaco de um álbum de fotografia antigo pra lembrar de mim

Dizem fiquei fora
por tempo demais
e aquele agora ou nunca ficou pra trás

O que não disseram
é que voltei diferente
e que o meu agora
é daqui pra frente

Nada me amarra
Passado é propulsão
Todos meus caminhos
Começam com um pé no chão
Hoje quando o sol saiu eu resolvi voltar


Chega de brincar de Herói!

"Todo mundo é ininterruptamente mal-entendido
no que diz, e é somente nisso que todos concordam"
Thomas Bernhard

Eu poderia listar uma série de coisas que me irritam muito, como por exemplo 'ser julgado por uma coisa que eu não fiz' , mas isso é assunto pra outra postagem...

Vivemos em um mundo em que as pessoas têm como maior passatempo falar da vida alheia, digo, porém, que não vale à pena se preocupar muito com isso, e reforço o que eu digo citando uma música da banda “Capital Inicial” que diz o seguinte: “Se eu for ligar para o que é que vão falar não faço nada...” E é basicamente isso.

Eu procuro viver da melhor maneira possível, fazendo sempre o que me da vontade de fazer. É claro que sempre respeitando o espaço alheio, já que eu prezo bastante pelo meu. É sabido também que algumas vezes eu faço algumas ‘cagadas’, mas por mais que eu tenha vergonha de algumas delas, uma coisa que eu nunca fiz foi negar a culpa. Se eu fiz, eu assumo, e arco com as conseqüências disso... De peito aberto, e dando a cara a tapa.

Existe uma coisa que vocês nunca me irão ver fazendo, e isso é ‘assumir uma coisa que eu não fiz!’

Podem me indagar dizendo coisas do tipo ‘são dois contra um’, ou ‘você estava bêbado’ (é... eu sou adepto de umas caipirinhas vez por outra), mas eu sei muito bem o que eu faço e o que eu deixo de fazer... Jamais irei assumir coisas que eu não fiz (reafirmo isso).

Bebida nunca foi pretexto pra nada, nunca. Em nenhuma das vezes que eu fiz ‘merdinha’, eu me justifiquei dizendo ‘eu estava bêbado’. Isso não tem lógica pra mim!

Se algumas pessoas parassem um pouco pra pensar, veriam que algumas ações não fazem o mínimo sentido!

Me respondam: Por quais motivos uma pessoa mentiria? Garanto que algumas das respostam foram “pra se dar bem”, ou “pra tirar vantagem de alguma coisa”... Ok!

Se eu não vou ganhar nada mentindo, se a mentira não vai me trazer vantagem alguma, pra que ‘diabus’ eu vou mentir??? Não faz sentido algum!

...

Sabe qual é o meu problema, eu confio demais nas pessoas! Só isso!

Mas agora a brincadeira acabou... Chega der ser o ‘bom moço’ das histórias... Todo mundo gosta é de um bom vilão!

Todos já estão bem crescidinhos...

Os heróis se tornaram obsoletos há muito tempo, só eu que ainda não tinha percebido isso!!!

(C. Henrique de O. Nogueira)