Quem sabe um dia...


Acho que o sonho de todo mundo que toca algum instrumento é gravar as suas composições... Pois bem.

Desde a minha primeira banda de rock, que brotou em meio a um cenário de bandas de forró, em 2003, numa cidade chamada Quixadá, eu venho me aventurando na arte de compor... Admito que essa não é a melhor coisa que eu sei fazer, mas vez por outra da pra aproveitar alguns acordes, algumas frases, e assim a gente faz algumas músicas.

Bom... A Metrópole foi passando por shows, mudanças de integrantes, e acabou que ela mudou de nome, passou a se chamar "[Livre] Arbítrio" em 2005, e nesse ano a banda começou a moldar um CD, coisa que seria um marco na história musical de muita gente, inclusive na minha.

A maioria das músicas que entraram naquele disco eram de autoria do Fael (Guitarrista), e do Weiber (Vocalista), havia também uma música de autoria de toda a banda, feita meio que por acaso em um ensaio, e diga-se de passagem: é uma das melhores músicas do CD.

Depois de "insistir" um bom bocado, algumas das minhas composições entraram no set list e foram ganhando arranjos novos e bem bacanas.. O grande problema disso tudo é que eu estava prestes a ir embora da cidade, e por conta disso eu larguei as gravações do CD pela metade, e os arquivos ficaram lá... maturando por um bom tempo. Até que em 2007 o restante da banda resolveu terminar o trabalho, e pra minha surpresa, eles também resolveram colocar mais algumas das minhas músicas... umas que estavam perdidas em fitas k7!

Resumindo tudo: O CD saiu, chama-se "A Lagarta, o Casulo e A Borboleta", e eu tenho muito orgulho dele.

- Mas porque eu estou escrevendo isso tudo?

Depois que eu fui embora de Quixadá, eu continuei compondo e gravando tudo o que dava pra gravar, e ontem, enquanto eu revirava os arquivos do meu computador, fiz um apanhado geral do que, sem muito trabalho, da pra aproveitar... E nisso eu brinquei de montar um CD com as minhas músicas.

O CD teria o nome de "Dias Quentes", igual ao blog, e agora passou a ser mais um dos meus projetos para o futuro.

É claro que eu não vou cantar, porque se esse fosse o caso ninguem conseguiria ouvir mais de uma música, o que eu quero é convidar amigos meus pra fazer parte desse projeto, e gravar isso junto comigo, porque o que eu quero mesmo é tocar contrabaixo!

Quem sabe um dia eu consigo concretizar esse projeto... vamos ver.

"(...) Uma cara de bunda excepcional!"

E assim termina mais uma saga do nosso herói, com aquela bela imagem de um sujeito de olhar torto e ombros caídos, como se carrega-se todo o peso do mundo nas costas.

É um tanto preocupante a postura desse indivíduo diante do mundo, ao que tudo indica sua vida ficará estagnada por um longo tempo.

É sabido que isso não assume caráter de problema para o nosso herói, visto que este acostumou-se a permanecer durante longos períodos de "apnéia" (como diz seu braço direito) em seu esconderijo, também conhecido como "mafuá do herói", mas mesmo assim nos preocupamos.

Resta para nós, pessoas simples e "normais", aguardar o retorno dessa figura enigmática às nossas vidas, e rezar para que essa "excepcional cara de bosta", que só o nosso herói sabe fazer, não permaneça por muito tempo.

"And the hero saved another day!
...but
who will save the Hero's day?"

Um "Herói" qualquer.



Um olho no passado para moldar um futuro melhor...
Uma caixa de recordações em cima de um armário velho.
Um silencioso pedido de desculpas, uma saudade...
Uma música cantada baixinho, um apaixonado por música!

O Pensamento traz a culpa!

"(...)somos infelizes porque pensamos..."

Será de todo uma verdade?...

O fato é que as complicações das nossas vidas são única e exclusivamente culpa nossa... mas será o caminho mais fácil o certo?

Fato: se tudo fosse fácil a vida seria sem graça!

Buscar a resolução dos nossos problemas (complicações) é o que nos motiva a continuar!

"(...) caminho em frente por sentir vontade."

Brainstorm

A mente, que não agüenta mais tantas informações e ações inúteis, resolve reciclar o seu velho "HD"... e em meio a tantos "arquivos" deletados, vão embora algumas lembranças antes julgadas boas, alguns sentimentos antes julgados bons e algumas pessoas antes julgadas 'dignas de carinho e atenção'.

Eu oculto!

Maio de 1958


Eu - "Muitos de nós vivem atrás de uma parede ou cortina de fumaça, que de certa forma esconde nossos verdadeiros sentimentos, crenças, desejos, gostos e aversões. Mas a questão da autodescoberta vai além de uma mera vontade ou relutância. Muitas vezes as pessoas não conseguem se descobrir, mesmo se tentarem, pois não conhecem seu verdadeiro eu - o que realmente querem, sentem ou em que acreditam. Esse fenômeno de ser um estranho para si mesmo foi chamado de "auto-alienação", uma característica de neuróticos. Pode ser significativo para a sociedade moderna que tantas pessoas tenham recorrido ao divã do psicanalista para tentar se conhecer."


50, 100 & 150 anos de memória
Compilado por Dan Schlenoff
Scientific American Brasil
Ano 6 N° 72

Só porque o Herói gosta de rock!!!

No princípio criou deus a guitarra, o contrabaixo e a bateria… A música até já possuía formas, mas para muitos jovens era vazia; e havia trevas sobre a face dos ritmos existentes, mas o espírito de deus, irrequieto, pairava no ar. Disse deus: haja Rock! E houve Rock! Viu deus que o Rock era bom; e fez separação entre os instrumentos e o papel de cada integrante que iria tocá-los. E deus chamou o novo ritmo definitivamente de Rock’n'Roll. E foi a tarde e a manhã e a noite, o dia primeiro. 13 de julho de 1954.

Qual a sua inspiração?



Inspiração é aquilo que te acorda de madrugada.
É uma folha de papel em branco.
É o que transforma noites em claro, em dias de sol.
Mas a inspiração é caprichosa.
Só aparece quando quer.
Por isso, quando ela tocar, responda;
Porque ela não costuma chamar duas vezes.
O que inspira você?

____________________________________________

Comercial do Banco Itaú Personnalite. Um dos melhores Já veiculados.

Das Vantagens de ser bobo (Porque todo Herói é um Bobo)

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar no mundo.

O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, reponde: “Estou fazendo. Estou pensando”. Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia. O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo parece nunca ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.

Aviso: não confundir bobos com burros.

Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: “Até tu, Brutus?”. Bobo não reclama. Em compensação como exclama! Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz. O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos.Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás, não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas! Bobo é Chagal, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas.

É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.

Clarice Lispector

"Rapaz Maravilha"

"No fundo, não acho que seja preciso qualquer especial talento para alguém subir acima do chão e pairar no ar. Todos temos isso em nós – todos os homens, mulheres e crianças – e, com bastante esforço e concentração, qualquer ser humano é capaz de repetir os feitos que eu realizei como Walt o Rapaz-Maravilha. É preciso aprender a deixar de sermos nós próprios. É aí que tudo começa e daí que parte todo o resto (…) Fechamos os olhos; afastamos os braços; deixamo-nos evaporar. E então, pouco a pouco, elevamo-nos do chão. Só isso."

Paul Auster, em Mister Vertigo

Boas práticas do Herói moderno!

Cara nova ao meu novo "velho" blog!

Tentarei direcionar os meus "esforços literários" para o "Herói", esse carinha que boa parte de vocês já conhece!

Palavras de atenção

Texto do ano passado que recebeu uma reformulada e um parágrafo a mais!

___________________________________________________


A gente cresce e espera que o mundo cresça com a gente... A gente faz o possível.Olhar pro lado e ter onde se sustentar é um dos melhores pagamentos pelos nossos esforços.

Poder assumir erros e expor diferenças sem medo é o que nos motiva a continuar melhorando!

A cada novo dia tenta-se cultivar novos amigos e manter os “bons e velhos”, tenta-se aprender novas coisas e lembrar do que já foi dito, tenta-se viver bem!E nesse universo de “tentar”, tenta-se também ter amores, amantes, “flertes”... Paixões, paixonites e amorecos! (Por mais que alguns deles você nunca encontre pessoalmente).

Em todo esse processo, uma das coisas mais empolgantes é descobrir novas habilidades, coisas que você nem imaginava saber fazer! Explorar novas áreas, mesmo que sem compromisso algum, sempre traz algo de bom... Fazer música, fotografar, dar aulas, “entregar papeis e atender telefones” (porque não? – risos), montar esqueletos, correr atrás de lagartos... Às vezes é melhor saber um pouco de tudo do que não saber nada de alguma coisa!

Só não se acomode e pense que esse “pouco de tudo” será suficiente. Procure o seu lugar no mundo e acumule todo o conhecimento que seja possível acumular sobre aquilo que você mais gosta. Independente do que seja, independente do que digam, independente do que queiram de você... Siga as suas metas. Lembre-se entretanto de ser flexível, e procure aceitar novas idéias e dicas.

Por hora, o que resta é agradecer pelas oportunidades dadas, pelos momentos preciosos passados ao lado de bons amigos, e torcer para que isso continue até o tempo em que o nosso tempo acabar!

“...parte de mim respira arte, o resto vive de momento!”

Carlos Henrique de O. Nogueira

Mais uma do (anti) Herói!

Eu já estava sem a mínima paciência pra heroísmo, tinha simplesmente deixado de lado toda essa história de “herói”, e o “lado negro da força” começava a se mostrar bastante interessante. Mas então, como em toda história de herói, algo acontece, e o “mocinho” volta à ativa pra defender a “moral e os bons costumes”.
O grande problema disso tudo é que heróis são limitados! Heróis não podem falar tudo que vem na cabeça, não podem fazer tudo o que desejam, pois existe uma imagem a ser zelada. Heróis não vivem pra si, vivem para os outros!.. O que todo mundo esquece é que heróis são “só mais um quando tiram a capa”, e depois disso já era!

On Flickr!!!