O Velho - Parte 1

(...) Passo as tardes em uma velha varanda, sentado em uma velha cadeira de balanços. Minhas maiores aventuras são pequenas corridas atrás do cachorro, que sempre pega as minhas velhas sapatilhas. - Deve ser o chulé! - é o que digo para a minha velha esposa que teima em querer se livrar do cão, como se fosse fazer alguma diferença... - Pulguento! - grita a velha.

...

A vida do (velho) Sr. Carlos era calma, sem muitas preocupações, era a vida que a maioria dos (velhos) senhores pede a Deus (ou a qualquer um outro).

Ele e a mulher Clara moravam em uma pequena casinha no interior, tinham um cachorro chamado Norberto e alguns outros animais que Carlos vez por outra encontrava durante suas breves caminhadas matinais. Os dois frequentemente recebiam visitantes que adotavam alguns dos animais recolhidos ou traziam mais alguns... seus filhos é que não os visitavam muito.

...

(...) Meus filhos não gostam muito de animais, não de muitos, afinal de contas quem gosta de ficar em uma casa cheia de penas, pelos e outras coisas? Ah, eu gosto! Poder salvar e dar lar a alguns animais doentes ou "deficientes" é muito gratificante pra mim, e é desse sentimento que retiro a paz que me deixa passar as tardes na minha velha varanda, sentado na minha velha cadeira de balanços.

Minha mulher diz que nossos filhos são "bichos urbanos", que não conseguiriam viver um dia sem a "tal da internet", mas a verdade é que sinto constante falta deles... mas os entendo.

...

Carlos tinha três filhos, dois homens e uma mulher.

O filho mais velho, Henrique, saiu de casa aos 16 anos para estudar. Hoje é engenheiro, dono de empreiteira e mora em um apartamento até espaçoso, mas muito desorganizado.
A filha Helena é a do meio, mora fora do país desde os 20 anos... faculdade de direito. Casou e teve uma filha, que Carlos ainda não conhece.
O mais novo, João, é músico profissional, por assim dizer, e também meio desajeitado. Vive viajando com a banda, sua maior temporada em um só lugar foi de um mês em um hospital quando sofreu um acidente de moto.

Os filhos de Carlos até se davam bem, mas mal se falavam, sempre estavam ocupados demais pra visitar uns aos outros.

...

(...) Os meus filhos? Ocupados demais com suas vidas pra enxergar as coisas que realmente valem a pena...

____________________________________

...continua(ou não).

We can!

"We can be heroes, just for one day! (...) we could still try, just for one day... We can be heroes, forever and ever..." "(...)just because i love you!"

Heróis Envelhecem

Heróis envelhecem de maneira estranha... As preocupações deixam suas sobrancelhas brancas, as corridas e saltos enchem seus joelhos de tendinite, e sua musculatura, antes capaz de realizar grandes proezas, hoje é uma massa flácida decorrente de várias horas dedicadas a um sofá velho!

Heróis envelhecem... e não costumam se exercitar.
Passada a gloriosa fase da juventude, um herói raramente tem diversão.

Um conselho para os que estão de plantão: Não deixem que um bom fim de semana esparramado em um sofá, ouvindo música, os engane... A tranqüilidade não é nada comparada as noites dedicadas a resolver problemas que nem sempre são seus.

Mas nem tudo está perdido...

O que consola um herói entregue a velhice é saber que a maioria dos vilões também envelheceu, e que as batalhas agora são travadas no tabuleiro de "Damas"!

There she is! - Final



Episódios anteriores AQUI!!!

Apenas mais um (Herói)

Dois caminhos
Dois minutos pra escolher
Os telefones não tocam mais
Não tenho notícias suas

E eu não quero mais lutar
E eu não quero mais

Prefiro continuar a minha vida de herói
E ser só mais um quando tiro a capa
Ser só mais um

Com ou sem poderes
Sempre quis te proteger

Mas então você descobriu meu ponto fraco
E então minha máscara caiu

Sem capa eu sou só mais um
Perdido no meio da multidão

Se valesse mesmo a pena
Os heróis ainda estariam aqui

Por Henrique Nogueira

Brainstorm

A mente, que não agüenta mais tantas informações e ações inúteis, resolve reciclar o seu velho "HD"... e em meio a tantos "arquivos" deletados, vão embora algumas lembranças antes julgadas boas, alguns sentimentos antes julgados bons e algumas pessoas antes julgadas 'dignas de carinho e atenção'.

"(..) Ao fim do dia, após tirar a sua capa, o herói deixa de ser tão 'heróico' e volta à sua anônima vida de 'simples humano', onde todos os seus feitos não querem dizer nada... e ele é apenas mais um."

Fikadica

Eu ando por ai como quem não quer nada, como quem deixa tudo passar desapercebido... E nessas minhas andanças existem algumas coisas que se repetem continuamente. Um olhar, um lugar... Uma chuva, alguns beijos... Uma paixão e um desentendimento... Enfim, coisas...


O fato é que faz parte do desenrolar da vida se interessar por outras pessoas (por mais que essas “outras pessoas” não se interessem realmente por você).


Começar novas histórias também é uma boa pedida caso você queira se arriscar um pouco, mas cuidado, não vá procurar por uma comédia romântica na prateleira de dramas, isso nunca da certo!


O que você precisa saber é que quando as coisas parecem estar se repetindo, não tente se enganar e dar aquele último crédito para o seu “tão amado roteirista”, porque elas vão se repetir. A pior parte disso, é que no final, coisa que você já conhece muito bem, nada é agradável... O bom é que você, já experiente no gênero “desastres amorosos”, pode prever todas as suas próprias reações, e até se divertir um pouco com elas.


- Nota: “Prever” não necessariamente quer dizer que você vá mudar alguma coisa, pois não se esqueça: você sempre tenta dar aquela última chance pro seu “tão amado roteirista”.


De qualquer forma você vai acabar culpando o seu altruísmo, aquele sentimento que diz “não se preocupe com você, os outros são mais importantes agora”.


Ouvir alguns - “você me faz bem” - durante a história alimenta um pouco o altruísmo de cada um, mas se você ouvir - “você me ajudou bastante, mas...” – saiba que o fim está próximo.


- Seja esperto e deixe o seu ‘lado negro da força’ falar mais alto algumas vezes... Ajuda bastante.

PS: Fica a dica!

Feliz segunda-feira

Quando tiver em um desses dias de “Odeio o meu trabalho!”, experimente isto:

A caminho de casa pare numa farmácia e peça um termômetro retal da marca “Johnson e Johnson”.

Assegure-se que é desta marca.

Ao chegar em casa feche todas as portas, feche as cortinas e desligue o telefone de forma a não ser incomodado durante a sua terapia.

Mude para uma roupa confortável, por exemplo um moletom e deite-se na cama.

Abra a embalagem e retire o termômetro. Coloque-o cuidadosamente no criado mudo evitando que fique estalado ou partido.

Retire o papel que vem com o termômetro e leia-o . Verá que em letras pequenas há uma declaração que diz o seguinte:

“Todos os termômetros retais feitos pela Johnson e Johnson são pessoalmente testados”.

Agora feche os seus olhos e repita em voz alta cinco vezes:

“Estou tão feliz porque não trabalho para o controle de qualidade da Johnson e Johnson”.

Tenham um bom dia e lembrem-se, há sempre alguém com um emprego pior do que o seu!!!

Vamos Continue… Força… A semana passa rápido…


Créditos: Uhull S.A.

O Pensamento traz a culpa!


"(...)somos infelizes porque pensamos..."

Será de todo uma verdade?...

O fato é que as complicações das nossas vidas são única e exclusivamente culpa nossa... mas será o caminho mais fácil o certo?

Fato: se tudo fosse fácil a vida seria sem graça!

Buscar a resolução dos nossos problemas (complicações) é o que nos motiva a continuar!

"(...) caminho em frente por sentir vontade."

There She Is!

O amor, o preconceito, o ódio e mais uma pitadinha de amor fazem dessa animação uma das melhores que já assisti, sem ser nem um pouco romântico, longe disso, ela realmente é genial.

Até agora temos quatro episódios, o quinto e último está para sair… vou ficar de olho e prometo postar aqui quando estrear.

Por enquanto assistam aos outros.

1



2



3


4

(In) Constantae

"(...) brincava com o acontecido e se esquecia de viver o novo." (Henrique Nogueira)

Muitos me perguntam o "porque" das repetições, o "porque" de eu acabar nas mesmas bifurcações, onde nenhum dos caminhos escolhidos será agradável... Já eu, meus caros amigos, lhes respondo que essa é minha sina.

Algo nessas pessoas, nessas situações... attracts me like no other lover... Me envolvem em suas histórias mais do que interessantes, mas deixam sempre os detalhes mais importantes por último, e quando esses são revelados já é tarde.

Tento de várias formas subjulgar o meu autruismo, mas é fato: "Ser super-herói não é fácil!"... e o cinto de utilidades teima em falhar nesses momentos, fico vulnerável, mortal... simples e sem graça!

__________________________________

"(...) dê uma máquina de escrever a uma pessoa em crise e criará um escritor!" (Pão com Mortadela)

Em momentos em que o passado reflete sobre o meu presente e fututo, em que os "Deja vu"(s) são contantes, eu me apego ao que me alivia o estresse... ao que me ajuda a desopilar.

Música, minha primeira descoberta artística, consatante desde a minha "pré-adolescência". Copanheira dos meu primeiros desastres!

Textos. Escrever foi consequência da música, mas então eu passei a escrever com outros propósitos. Em momentos distantes dos meus amigos o lápis e o papel foram meus ouvintes.

Fotografia, paixão nova. Poder resgistrar detalhes ricos em beleza que geralmente passam despercebidos é simplesmente maravilhoso!


"(...) eu sei que hoje sou o oposto do que eu imaginei, mas agora eu nem me preoculpo." (O amanhã - Henrique Nogueira)

Dias Quentes, palavras de atenção!

A gente cresce e espera que o mundo cresça com a gente... A gente faz o possível.

Olhar pro lado e ter onde se sustentar é um dos melhores pagamentos pelos nossos esforços.
Poder assumir erros e expor diferenças sem medo é o que nos motiva a continuar melhorando!

A cada novo dia tenta-se cultivar novos amigos e manter os “bons e velhos”, tenta-se aprender novas coisas e lembrar do que já foi dito, tenta-se viver bem!

E nesse universo de “tentar”, tenta-se também ter amores, amantes, “flertes”... Paixões, paixonites e amorecos! (Por mais que alguns deles você nunca encontre pessoalmente.)

Em todo esse processo, uma das coisas mais empolgantes é descobrir novas habilidades, coisas que você nem imaginava saber fazer! Explorar novas áreas, mesmo que sem compromisso algum, sempre traz algo de bom... Fazer música, fotografar, dar aulas, “entregar papeis e atender telefones” (porque não? – risos), montar esqueletos... Às vezes é melhor saber um pouco de tudo do que não saber nada de alguma coisa!

Por hora, o que resta é agradecer pelas oportunidades dadas, pelos momentos preciosos passados ao lado de bons amigos, e torcer para que isso continue até o tempo em que o nosso tempo acabar!


“...parte de mim respira arte, o resto vive de momento!”

Carlos Henrique de O. Nogueira

Doce Solidão


Posso estar só
Mas sou de todo mundo
Por eu ser só um
Ah nem, ah não, ah nem dá
Solidão foge que eu te encontro
Que eu já tenho asas
Isso lá é bom?!
Doce solidão

( Marcelo Camelo )

Tempo curto!


Me sinto um condenado caminhando em direção à forca em finais de período... um condenado que ainda recorre da decisão e espera o resultado de seus executores.

Ainda não foi dessa que pude passar por tudo sem preocupações!

Quem é o carrasco da vez? Um homenzinho mal amado que me critica por não perder meu tempo decorando a tabela de preços do supermercado!

Top 10 - Pessoas mais irritados com computadores!



Top 10 Persons Destructive Your Computer - video powered by Metacafe

“Essa vanguarda me envergonha!"

Hoje em dia todos sabem que montar uma banda é muito fácil, e divulgar seu trabalho então...

Essas facilidades encontradas hoje fazem parte da evolução natural dos meios de formação e comunicação.

Em resposta há uma pergunta feita em um workshop realizado em Campos dos Goytacazes, o músico instrumentista Ricardo Silveira disse: “Hoje em dia qualquer um pode alcançar um nível técnico alto em pouco tempo... Antes penávamos pra ter uma “Xerox da Xerox” de uma apostila, e hoje da pra encontrar tudo na internet.”

Mas até onde isso nos ajuda?

Como também sabemos, tudo tem o seu lado bom e ruim, e o lado ruim dessa facilidade toda é a quantidade de “lixo” musical que encontramos no mercado!

Se vocês pararem pra pensar verão que em média mais de 1.000 bandas são formadas a cada dia só no Brasil, bandas que vão desde o axé ao rock, e boa parte dessas bandas lançam suas “MP3s” na internet como meio de divulgação. Nesse embolo todo, temos bandas muito boas, com “superproduções caseiras”, e bandas (se é que podemos chamá-las assim) onde os “músicos” mal sabem fazer um “Dó Maior”. O pior de tudo é que estamos sujeitos a ouvir isso a cada instante, mas essa parte é assunto pra outra matéria.

A minha dica aqui é: procurem se informar das novidades em lugares confiáveis!!! Sejam críticos o suficiente pra não maltratarem seus ouvidos, e aproveitem essa facilidade para estudar, aprender novas técnicas, evoluir!

Por Henrique Nogueira

Projeto Solo


Hoje foi liberado o meu domínio no site Palco MP3, e com isso quero divulgar o meu projeto solo, o "Agitate Before Using", uma mistura de música eletrônica, instrumentais de contrabaixos e baladinhas pop rock... nada muito sofisticado, apenas o resultado do meu ócio criativo!

Visitem: www.palcomp3.com.br/henrique_nogueira

Horizonte Distante


Por onde vou guiar
O olhar que não enxerga mais
Dá-me luz, ó Deus do tempo
Dá-me luz, ó Deus do tempo
Nesse momento menor
Pr'eu saber seu redor

A gente quer ver
Horizonte distante

A gente quer ver
Horizonte distante

Aprumar

Através eu vi
Só o amor é luz
E há de estar daqui
Até alto e amanhã
Quem fica com o tempo
Eu faço dele meu
E não me falta o passo, coração
E não me falta o passo, coração

Avante

A gente quer ver
Horizonte distante

A gente quer ver
Horizonte distante

Aprumar


Los Hermanos

Música em "Stop Motion"

Pouco conhecimento musical, criatividade e humor!




Vale a pena assistir todo!

Um "Eu" qualquer...



Um olho no passado para moldar um futuro melhor...
Uma caixa de recordações em cima de um armário velho.
Um silencioso pedido de desculpas, uma saudade...
Uma música cantada baixinho, um apaixonado por música!

Apaixone-se



Amanhã é o melhor dia da sua vida!

Outsider: quem não se enquadra - Mário Bartolotto

A figura do outsider. Do cara que não se enquadra. Do sujeito que não faz questão de pertencer a nenhuma turma. O cara que no colégio sentava na última carteira, não falava com ninguém e ia embora sozinho. Havia algo de muito maneiro em figuras desse naipe.

Numa sociedade onde qualquer babaca quer virar celebridade, a figura do "ninguém" sempre me pareceu o melhor modelo de vida. E aqui não vai nenhuma pretensão estilosa do tipo "é legal ser diferente". Porra nenhuma. O que eu penso é que simplesmente "ninguém precisa ser igual".

Cada pessoa devia andar por aí rezando pela própria Bíblia, ou seja, fazendo suas próprias leis e fazendo uso de seu livre arbítrio. Mas não é o que tem acontecido.

Assisto sem nenhum entusiasmo e com bastante perplexidade aqueles filmes americanos de turmas de universidade com aquelas indefectíveis fraternidades onde o cara passa por uma coleção inimaginável de humilhações apenas com o inacreditável intuito de ser aceito em uma fraternidade de babacas. Não é muito diferente das merdas dos trotes universitários brasileiros. Babaca não respeita geografia.

Fico imaginando o que leva uma pessoa a essa necessidade doentia de ser aceito. E com o tempo me parece que em busca de aceitação as pessoas têm se padronizado de maneira assustadora e alarmante.

Hoje em dia a rapaziada usa piercing, tatuagem (não que eu tenha exatamente nada contra o uso de piercings ou tatuagens, mas é que parece que grande parte da molecada começa a usar apenas numas de copiar outra pessoa e aí é esquisito), o mesmo corte de cabelo, gosta das mesmas músicas e das mesmas roupas e emprega as mesmas expressões ("Galera", "é dez", "é show", "baladinha" e outras que eu não consigo sequer repetir aqui sem ter o meu estômago revirado) e aí ele se sente parte de alguma coisa, é compreendido e aceito e não vira motivo de zombaria entre os demais, justamente por não ser diferente.

Então o que acontece é muito simples. Se o sujeito tá num grupo onde o lance é odiar alguém, seja quem for, pode ser negro, viado, gordo, mulher ou o Mico-Leão Dourado, então o cara vai passar a odiar, ele nem sabe o motivo, é que a turma odeia e ponto. E se a turma pinta o cabelo de azul, então o panaca pinta também. E se a turma acha que é legal praticar artes marciais pra sair dando porrada em desavisados noturnos, então o cara automaticamente se inscreve numa academia e sai de lá o mó Steven Seagal.

E acha legal sair de carro com uma piranha oxigenada (esses caras sempre andam com piranhas descerebradas que são apreciadoras de bravatas intimidatórias) e provocar o primeiro sujeito pacífico que eles cruzarem pela frente. E vai ser providencial se eles pegarem pela frente um carinha com um livro do Kafka no ponto de ônibus. Esses caras nutrem um profundo ódio por qualquer sujeito que consiga articular mais que duas frases inteligíveis. E as suas piranhas são as primeiras a aplaudir o massacre.

Não tô aqui querendo de maneira nenhuma desmerecer o trabalho de alguns professores de artes marciais que sei o quanto são sérios e dignos. Mas é que sem a devida orientação eles estão criando um exército de babacas extremamente perigosos.

E é claro que a mídia e a publicidade incentivam irresponsávelmente esse estilo de vida. Elas querem todo mundo comprando e consumindo as mesmas coisas, coisas essas que eles fabricam em larga escala para atender a demanda desenfreada.

Numa novelinha como Malhação, só pra citar um exemplo bastante óbvio, a impressão que fica é que o roteirista escreveu um monólogo e depois distribuiu as falas entre vários personagens. Não há diferenciação de personalidade. Todos falam as mesmas coisas, do mesmo jeito e usando as mesmas expressões. Em resumo: fique igual e permaneça legal.

Há um processo de idiotização total e irrestrita avançando a passos largos. E essa busca pela padronização e no conseqüente status mediano (estou sendo generoso com esse "mediano") que as pessoas têm alcançado ganhou por esses dias duas novas forças de responsa.

A MTV “onde é que estão os clipes, porra?” estreou dois programas que são verdadeiras aberrações. O primeiro deles é o tal Missão MTV onde a Modelo Fernanda Tavares totalmente destituída de qualquer coisa que possa ser chamada de carisma, apesar de bonitinha (é o mínimo que se pode esperar de uma modelo) é chamada para padronizar qualquer sujeito que não esteja seguindo as regrinhas do que eles chamam de "bom gosto". Então se uma garota não fizer o gênero patricinha afetada, então ela automaticamente está out e a missão da Fernanda é introduzir a "rebelde" ao mundo dos iguais.

E dá-lhe o que eles chamam de "banho de loja". Se o cara usa roupas largas e o cabelo sem uma preocupação fashion e ainda se diz roqueiro, então eles transformam o coitado num metrosexual glitter afetado e por aí vai. Parece que a mulher vai dar um jeito no quarto de um sujeito. Ela diz que tá tudo errado no quarto do cara. Como assim? É o quarto dele, porra. Enfim, é proibido ter estilo. Quem não se enquadra, sai de cena. Em resumo, um programa vergonhoso.

Mas o pior ainda é o outro: O inacreditável e assustador Famous Face. Sacaram qual é a desse? Uma maluca encasqueta que quer ficar parecida com a Jeniffer Lopez ou com a Britney Spears e tal estultice é incentivada. Em resumo, a transformação é filmada e testemunhamos a verdadeira frankesteinização sofrida pela pobre iludida. Ela se submete à operação plástica, lipoaspiração e o caralho. Chega a ser nojento. Eu não entendo qual é a de um programa como esse. Será que a indústria da cirurgia plástica tá precisando de uma forcinha? Eu duvido. Nunca vi se falar tanto em botox, silicone, lipo e outras merdas. Todo mundo tentando evitar o inevitável. Todo mundo querendo retardar o tempo incontrastável. Vivemos cada vez mais em uma gigantesca e apavorante Ilha do Dr. Mureau. Foda-se Dorian Gray. Eu sou bem mais as rugas de Hemingway.

Mário Bortolotto

*Mário Bortolotto é dramaturgo. Este texto, reproduzido aqui foi originalmente publicado em seu blog Atire no Dramaturgo.

Passado Presente

O atualmente fechado “Eu, por mim mesmo” ainda rende bons textos... Achei que esse serve como um bom final pra uma história que não vou querer repetir...

___________________________

"Dizem que lembra o passado é sofrer duas vezes,

Mas o meu foi muito bem vivido."

(Neto Inácio)

Pois é, aqueles que me conhecem bem sabem o quanto eu gosto de ficar lembrando o meu passado.

Alguns dizem que esse é um dos meus problemas, mas eu acho que não!

Não ha mau nenhum em lembrar das boas experiências que se viveu:

- nada é melhor do que boas lembranças para aquecer um coração.

Até das experiências ruins vale à pena lembrar, pois é com elas que aprendemos a não cometer mais certos erros.

Tudo vale como aprendizado.

"É preciso força pra sonhar e perceber que a estrada está

Além do que se vê..."

(Los hermanos)

Stand Up Comedy

O que é "Stand Up Comedy"?

Também conhecida como humor de cara limpa, a comédia stand-up privilegia o artista munido apenas do microfone, sem personagem, fantasia ou acessórios. O humorista stand up não conta piadas conhecidas do público (anedotas). É normal que se prepare números com texto original, construído a partir de observações do dia-a-dia e do cotidiano.

Aqui temos um dos melhores humoristas nacionais do ramo: Rafinha Bastos!

Aproveitem!

"São sem sentido..."

1° - O que era o "Histórias Repetidas.Blogspot"?

Pra quem acompanhou as primeiras postagens desse blog, sabe que ele surgiu como uma releitura do blog "Eu, por mim mesmo" na tentativa de sufocar algumas críticas. tentativa que foi muito bem sucedida.

2° - Porque "Dias quentes, palavras de atenção"?

Eu já queria mudar o nome do blog há algum tempo, mas nunca tomei a iniciativa.. e eu também não tinha um nome bom pra colocar no lugar.
Eis que surge, numa tarde de domingo a expressão "Dias quentes, com palavras de atenção" seguida por "Em dias assim resolveremos nossas vidas".

Perfeito!

3° - E de onde isso veio?

Simplesmente brotou! (brincadeira)
Estava tentando escrever alguma coisa sobre o meu estado de espírito naquele dia... não estava muito "contente" por assim dizer.
Passei a tarde tentando encontrar motivos pra algumas coisas (besteiras) que aconteceram, mas não obtive sucesso.
Após algum tempo, sentei na frente do PC, me dei conta de que não valeria a pena pensar naquilo e escrevi...

4° - "São sem sentido"... O que?

Coisas repetidas! Ao menos foi o que eu vi escrito em um "blog" pela net...
Então, se coisas repetidas são sem sentido, o "Histórias Repetidas" era (é) sem sentido? E a música "Histórias Repetidas"?
... seguindo a raciocínio "daquele blog"... são sim: "Coisas terminantemente sem sentido"!

5° - Entendeu?

Vamos lá... pensem comigo:

Situação 1 - Você visitou um lugar maravilhoso nas férias e esta com uma "puta" vontade de voltar, mas não, você não pode voltar lá, porque se você voltar aquele lugar se tornará "sem sentido", a viagem se tornará "sem sentido"... e claro: Você não é uma "pessoa sem sentido"!

Situação 2 - Você conhece uma pessoa super legal e fica com ela, acha aquilo tudo muito bom, aproveita ao máximo, e então se despede e vai pra casa. No dia seguinte a pessoa te liga, quer te encontrar, mas não! Você não vai sair com ela de novo, porque vai ser "sem sentido", e mais uma vez você não vai querer se tornar uma "pessoa sem sentido"!

6° - E agora?

Se for pra viver assim, eu prefiro continuar com minhas "Histórias Repetidas" e ser "sem sentido".
Claro que novidade (Coisa terminantemente com sentido) sempre é bom.. conhecer novos lugares, novas pessoas, ver novos filmes, ter novos amores... mas o que acontece com as coisas, lugares, pessoas e amores que a gente já conhece / já tem? Tornam-se sem sentido, assim banalmente???

...

"Sem sentido é quem acha que o velho é sem sentido"

...

PS: Pode parecer que eu cedi ao "São sem sentido" mudando o nome do blog, mas não!!! Como eu escrevi lá em cima: "Eu já queria mudar o nome do blog há algum tempo, mas nunca tomei a iniciativa".

Você odia ou odeia?

Enquanto espera na fila, é abordado por uma jovem cujo rosto, apesar de bem-cuidado, denota preocupação.

- Eu odio esperar. E o senhor?

- Eu odeio. Odeio esperar, odeio ficar em filas…

A moça fita-o de alto a baixo (não confundir com abaixo) e endireita-se na fila. Instantes depois, volta-se e questiona:

- O senhor odeia ou odia?

- Fila e espera, eu as odeio.

- E outras coisas? O senhor odia?

- Há coisas na vida que eu amo, outras que eu suporto…

- E gente que fala errado? O senhor odeia, ama ou suporta?

- Assim com olhos grandes e claros, e dentes perfeitos, como os seus, tenho tendência a adorar.

- Os olhos são naturais. Nasci com eles. Os dentes são postiços.

- Dentes postiços?! Na sua idade? Custa-me crer…

- Pois creia. Coisas do interior.

Endireita-se novamente na fila. Três ou quatro passos à frente, ele a faz voltar-se.

- A partir de hoje, passo a odiar dentistas do interior. Eles tiram dentes como quem tira…

- Não tiram só dentes não. Tiram cabaço também.

Ele se assusta diante da declaração inesperada. Olha ao redor. Ainda bem que ninguém está acompanhando a conversa. São os últimos da fila.

- Se servir de consolo, aqui, na cidade, a senhorita vai precisar mais dos dentes…

- Isso significa que o senhor não valoriza a outra parte?

- Valorizo. Claro que valorizo. Mas não exageradamente. Se você não tem…

A fila anda mais depressa. O guichê está próximo. Ela confere os papéis. Antes de ser atendida, volta-se e pergunta:

- O senhor se envolveria com uma mulher que fala errado, que tem dentes postiços e que não tem cabaço?

Quando ia responder, o funcionário grita:

- Próximo!

Ela apresenta os papéis, estende o dinheiro, confere o troco. Antes de partir, questiona:

- O senhor não deu resposta à minha pergunta.

- Próximo!

Ele não sabe se dá atenção à moça ou ao funcionário. Ela anda em direção à porta de saída.

- Próximo!

Despertado por algum instinto anti-rotina (atente no hífen), ele abandona a fila e sai à procura da jovem. Na rua, sem o menor constrangimento, grita:

- Moça sem cabaço!

Muitas mulheres se voltam por causa do chamamento, mas ele só tem olhos para a jovem que o desafiou (atente no uso do pronome átono).

- Quero dar resposta à sua pergunta…

- ?

- Tenho coragem, sim. Não importam os erros gramaticais, os dentes, o cabaço…

- Pois tenho uma surpresa para você…

- ?

- Eu disse tudo aquilo brincando.

- Brincando?! Tudo brincadeira?

- Nem tudo. Os erros de português são verdadeiros. Mas os dentes não são postiços: são naturais.

- E a outra parte?

- Acredite: ainda está no lugar.

- Mas não por muito tempo.

O HUMOR DO PORTUGUÊS

(amostra do livro)

João Batista Gomes

Afinal, o que diabus é um contrabaixo?

Eu, sendo um contrabaixista a quase 8 anos, ao falar que toco "contrabaixo", geralmente sou surpreendido com a seguinte pergunta: o que é um contrabaixo? E sempre é o mesmo "bal-bla-bla" pra explicar... "-É um instrumento que parece uma guitarra, só que é maior...".
As pessoas fingem entender.

Acho que boa parte dos baixistas já passou por isso.

Hoje quero elucidar alguns fatos sobre este instrumento que tanto me fascina, tudo na tentativa de evitar futuras perguntas desse tipo.

______________________________________

O contrabaixo elétrico, chamado também de baixo elétrico ou simplesmente baixo, é um instrumento de cordas semelhante a uma guitarra elétrica, maior em tamanho e com um som mais grave. Evolução do contrabaixo acústico, é utilizado por diversos estilos musicais modernos.

_______________________________________

O grande nome que inventou o contrabaixo elétrico (esse contrabaixo que conhecemos hoje) foi um já conhecido da comunidade musical, Leo Fender, o mesmo das guitarras. A idéia era diminuir o problema que os contrabaixistas dos anos 50 tinham na hora de transportar seus instrumentos, que eram muito delicados e extremamente pesados.

Fender, que era técnico em eletrônica, conseguiu resolver tudo isso em 1951,criando o primeiro baixo elétrico, na época batizado de Precision, e posteriormente conhecido como Fender Bass.

Com um modelo bem mais dinâmico e prático do que os modelos dos contrabaixos clássicos, o Fender Bass logo se popularizou, e teve como seu primeiro usuário e divulgador William "Monk" Montgomery (irmão do guitarrista virtuose Wes Montgomery).

Com o funcionamento semelhante ao de uma guitarra elétrica, o baixo elétrico também tem o seu som produzido a partir de um sinal elétrico criado nos captadores após a vibração das cordas, sinal esse que é amplificado e reproduzido por meio de "amplificadores".

Hoje em dia, vários componentes elétricos podem ser usados para alterar o timbre do instrumento, tornando-o cada vez mais versátil.

Sobre proprietários e "pets" - 1


Difícil é acreditar que pessoas queiram animais apenas pra dizer “ah, eu tenho um gatinho...” ou “eu cuido de um cachorro lá em casa sabe...” (Henrique Nogueira)

Cuidar de um animal dá trabalho e não é barato, mas quem se importa? Afinal de contas são só bichos...

...

Quarta, 16 de abril de 2008. Esse foi o meu primeiro dia na clínica de pequenos animais do Hospital Veterinário da UENF, dia em que finalmente abri meus olhos pra verdadeira imagem dos que possuem animais de estimação. Coisas que eu já sabia, mas não queria acreditar...

Durante os atendimentos era visível o nervosismo, não dos animais, mas de seus donos, isso tudo na tentativa de omitir algum descuido ou maltrato, mas tumores não aparecem de um dia para o outro, e animais que tomam banho uma vez por semana com produtos que evitam carrapatos não ficam fedidos e cheios de carrapatos. Nesses momentos temos que saber quais perguntas fazer, e enrolar os proprietários até que eles revelem a verdade, não pra passarmos na cara dele que ELE não cuida do seu animal como deveria, e sim para podermos descobrir e cuidar do verdadeiro problema daquele bicho...

Entre cães e gatos, problemas de pele e simples “gordurinhas localizadas” (acreditem, teve um caso de “gordurinha localizada”), um caso me chamou a atenção.
Após atender a um labrador que estava com dermatite úmida, fui procurar um caso mais interessante, e então me deparei com uma gaiola de transporte parada na porta da recepção, me agachei e vi uma gata. Comecei então a conversar com o dono.

A gata se apresentava muito quieta, e segundo o proprietário ela havia fugido e voltado assim, ficava parada o dia inteiro e não queria comer, a barriga estava muito inchada, podendo indicar gestação, havia também um corrimento marrom que sujava toda a calda da gata e o jornal que forrava à gaiola, perguntei sobre isso. O proprietário falou que havia aplicado um anticoncepcional, mas que pelo visto não havia tido efeito, e que a mancha no jornal poderia ser da chuva que ocorreu no dia anterior. Fiquei desesperado.
1 – Ele aplicou o anticoncepcional no período errado e comprometeu a gestação da gata;
2 – Como assim “poderia ser da chuva”? Ele deixou a gata presa numa gaiola e na chuva? Puts!!!

No ambulatório as coisas só pioraram. O corrimento era muito escuro, saia da vagina da gata, e o pior, fedia muito. O abdômen estava rígido e ela estava hipotérmica. (Anticoncepcionais aplicados no período errado podem causar a não contração uterina, resultando na não expulsão dos filhotes, causando a morte dos mesmos, e possível posterior morte da mãe) Concluiu-se que os filhotes estavam mortos e o corrimento provinha de uma infecção secundária no trato reprodutivo da gata. Ela teria que entrar logo em cirurgia para ter chances de continuar viva. Aqui entra a parte burocrática da coisa...

Quanto vale um gato? Geralmente ganhamos gatos, então: quanto gastar para salvar um? Na maioria dos casos a resposta é “nada”. Para um proprietário não é “interessante” gastar pagando uma cirurgia de um animal, é mais cômodo deixar acontecer, e se tiver que morrer, que morra, ele arruma outro.

Em momentos assim eu me pergunto: Vale à pena ter um animal de estimação para nos acompanhar se nos momentos em que eles precisam de nós para resolver problemas que nós mesmos causamos simplesmente deixamos o animal morrer?

Até quando vamos abandonar animais depois que esses deixam de ser filhotes e não podemos mais comprar ração, ou passam a ocupar espaço demais?

Milhares de tartarugas são jogadas esgoto abaixo pelo simples fato de terem ficado “sem graça”...

Milhares de gatos são jogados fora todos os dias, e por ai vai...


Não despreze a vida de um animal, ela vale tanto quanto a sua!


...Acho que me empolguei um pouco.
No final das contas a gata foi operada, não por conta do proprietário, por que se dependesse dele a gata voltaria pra casa do jeito que estava. Os alunos é que bancaram tudo.
Não sei ainda o resultado da cirurgia, mas espero que ela tenha sobrevivido.

...

Escrevi isso pra diminuir um pouco a “perturbação” causada por isso tudo, e acho que vou continuar escrevendo sobre esses casos.

Tenta-se

...Tenta-se viver a vida da melhor maneira possível. Tenta-se seguir um caminho, alcançar metas, superar tudo.

Tenta-se também ter amigos, paixões, amores... e tenta-se manter tudo isso na esperança de ter alguém pra compartilhar as nossas desventuras presentes, e porque não, as futuras.

A cada dia, várias pessoas são inseridas nas nossas vidas.


Seja aquela que passou na nossa frente ou a que nos acompanhou o dia inteiro, todas irão influenciar as nossas escolhas, direta ou indiretamente.

Cabe a nós, e somente a nós, selecionar o que irá valer a pena...

O que é trabalho pra você?

O Mundo se divide entre dois tipos de pessoas: as que gostam do que fazem e aquelas que passam o tempo todo pensando no que poderiam estar fazendo se não tivessem que trabalhar.

Trabalho é apenas o que paga as suas contas, ou é o que faz tudo valer a pena?

O que é trabalho pra você?

Essencial

Eu me tornei um grande fã de comerciais, e ultimamente tenho procurado criar um acervo dos textos e vídeos dos comerciais que mais me chamam a atenção.

Hoje trago o texto e o vídeo de um dos comerciais do Banco Itaú, o "Essencial".




A vida passa e a gente vai acumulando dias, minutos, segundos e papéis, promessas, roupas de frio e resoluções de ano novo... Coisas.

E quanto mais você acumula as coisas que todo mundo tem, mais aprende a dar valor àquilo que só você pode ter, aquilo que faz você ser você.

Suas vontades, suas idéias... Aquilo que é essencial pra você.

Por nosso Futuro

E eu sei, nada é tão simples assim

Mas minha cabeça me deixa prosseguir

Ruas cheias de falsas esperanças

Corrompendo os fracos de coração

E eu vou olhar por nós

Te peço pra olhar

E as crianças não sabem mais brincar

Procurando caminhos onde não há salvação

Serão os mais preparados?

Os mais bem indicados?

São os mais perdidos

São os mais perdidos

E eu vou olhar por nós

Te peço pra olhar por nós

Por nossas crianças

Por nosso futuro

Por você

Por sua vida

Pela nossa vida

Henrique Nogueira

As mesmas histórias (nos jornais)

Olha pra mim!

Por favor, me diz que você não teve coragem, me diz...

Levanta!

Antes que o sol alcance os seus pés

Antes que aquela nuvem se vá

Levanta!

Não fica deitado a esperar

Pois a vida não tem piedade

Quantas vezes eu terei que ler as mesmas histórias nos jornais?

Pois você não mudou

E agora, como você vai explicar?

Suas mãos ainda estão sujas

E essa mancha com sabão não sai

Quantas vezes eu vou ter que ler as mesmas histórias nos jornais, as mesmas mentiras?

Pois você não mudou

E eu vou seguir, com ou sem você...



Henrique Nogueira

O que queremos.. e só!

(Desenterrei essa postagem!)

Você não vai ter toda sua vida para viver sobre o muro, e um dia vai ter que idealizar e por em prática tudo que pretendia. O mundo não se constrói apenas por pessoas hilárias, mais sim por pessoas responsáveis o bastante para mantê-lo em pé. Não se pode também apenas ficar ou acompanhar idéias de outras pessoas, assim você nunca chegará a um bom lugar, apenas irá pela cabeça e idéias de outros, mostrando que o que te falta é criatividade, coisa que o mundo hoje em dia cobra a quem quer ter uma boa e segura vida longe da ponte. Será necessário então colocar em prática grandes ou pequenos sonhos de sua infância, tenho certeza que todos aqui já sonharam bastante em ser super-heróis ou então médicos quando pequenos. É difícil entender o por que de uma troca rápida de idéias. Quando pequenos sabemos muito bem o que queremos ser quando ficarmos grandes. Mais quando chega a hora na qual já somos grandes o bastante e podemos muito bem decidir qual carreira devemos seguir, bate uma danada duvida que nos deixa loucos o bastante. Alias, quando estamos grandes o suficiente o mundo vira um grande PONTO DE INTERROGAÇÃO.



pois é...

Já quis ser médico, engenheiro, agrônomo, psicólogo... fiz um ano de ciências biológicas e resolvi tentar ser Veterinário...

E nesse tempo em que estou tentando ser Médico Veterinário, já até quis desistir de tudo e virar músico profissional (ou fotógrafo)...

Bom, acho que funciona assim: quando somos crianças queremos o que é bonito, no começo da adolescência queremos o que queremos (e só), na hora de decidir ficamos em dúvida entre o que da dinheiro e o que nós gostamos de fazer... no final de tudo acabamos descobrindo uma vocação que nem imaginávamos...

Geralmente é isso que acontece...


(acho que esse comentário rende uma postagem...)

Por um amor caído

Data da postagem original:Domingo, Setembro 30, 2007

Andava pela rua tentando encontrar meu coração que foi perdido em um bar, quando a vi caída em uma esquina, ainda segurando o seu copo de cachaça barata. (É. Cachaça barata!)

A princípio custei a acreditar que ela realmente chegara a esse ponto, mas não me demorei em tentar ajudá-la. Estava tão trôpega quando a levantei. Cruzava os pés na insistente tentativa de se manter de pé. Ensaiou algumas justificativas e explicações para aquilo, mas confesso que nem reparei nas frases sem nexo que ela conseguia, silabicamente, “recitar”.

Meu amor estava bêbado, e essa era a única verdade que regia aquele momento.

A levei para casa, e depois de muitos tropeços e passos tortos, que usavam as paredes como apoio, conseguimos chegar.

Algo me dizia que aquela seria uma noite longa...

Com muito esforço a convenci a tomar um banho, a despi e a levei para o chuveiro.

Naquele momento nem sequer reparei na beleza de seu corpo... Nos seus seios fartos... Suas cochas morenas... (E agora que lembro me perco) Só lembrei de que banhos frios ajudam!

Depois do banho, a enrolei em um cobertor e a levei para a cama.

Ela, já sem muita consciência, dormiu quase que instantaneamente ao encostar-se na cama. Aquela era a visão mais bela que eu já tive.

Deitada ali nem parecia que acabara de sair de um porre, e que horas atrás estava caída em uma calçada. E eu, sem ter muito que fazer, sentei no sofá e acabei dormindo também.

...

O sol, que entrava por uma janela, agora batia em meu rosto, e eu acordava aos poucos.

Abri os olhos e a vi parada, de pé, na minha frente, usando apenas aquele cobertor que eu havia usado para cobri-la. Sem falar nada ela se aproximou. Inclinou-se para frente. Apoiou uma das mãos no braço do sofá. Nossos rostos agora estavam próximos.

Os meus olhos estavam fixos nos dela quando os vi fechando. Inconscientemente fechei os meus, e quando percebi nossos lábios haviam se tocado. No segundo seguinte eu podia sentir todo o peso do seu corpo sobre o meu, e minhas mãos já estavam a abraçando.

Sentia-me como se não tivesse mais controle sobre o meu corpo, e aquela sensação era maravilhosa.

Os beijos aumentavam enquanto as minhas roupas eram tiradas, e o cobertor que a cobria já não se achava mais... Duraram muito tempo aqueles toques e movimentos abdominais, e depois de alguns sussurros um sentimento de paz invadiu nossos corpos suados.

Após alguns minutos a mais que passamos abraçados naquele sofá, me levantei. Peguei minhas roupas, me despedi e sai.


Henrique Nogueira

________________________________________________

Postagem antiga, resultado de um grande devaneio meu... mas até que ficou legal! (ou não)

Exterminador e Jesus

Não é muito recente, mas vala a pena assistir...

Imaginem se o exterminador voltasse pra proteger Jesus Cristo... agora vejam o resultado!

Darwin Awards

O Darwin Awards é uma premiação internacional que contempla a moçada sapeca que morre das maneiras mais estúpidas e facilmente evitadas. Seguem abaixo algumas mortes e situações "premiadas":


* Um grupo de terroristas palestinos confundiu o cronômetro dos explosivos que transportavam e, sem perceber a burrada, morreram quando o carro bomba que dirigiam explodiu com eles dentro. (Israel, 1999)

* O brasileiro Manoel Messias Batista Coelho era responsável pela limpeza interna de tanques de caminhões de gasolina. Parte do procedimento consiste em encher o tanque com água, para forçar a saída do vapor inflamável do veículo. Depois de iniciar o processo o empregado retornou e, na dúvida, iluminou o interior do tanque com um isqueiro para ver o nível de água. Na hora o caminhão explodiu, limando sua existência em segundos. (Brasil, 2003)

* Um sargento da força aérea americana instalou em seu Chevy Impala 1967 uma turbina a jato utilizada para dar maior impulsão em caças militares. Com o aparato indevidamente instalado, o oficial rumou para o deserto do Arizona e ligou a turbina. Moral: o carro explodiu após praticamente voar pela estrada, mandando o tal sargento pelos ares. Reza a lenda que o adesivo "Como estou dirigindo?" foi encontrado entre os destroços do veículo. (Estados Unidos, 1995)

* Um assaltante novato tentou roubar uma loja de armas portando apenas uma Beretta 22. Além de não se ater a este detalhe, ele ainda foi capaz de ignorar o carro patrulha que estava estacionado do outro lado da rua. Após disparar um tiro o infeliz foi praticamente fuzilado pelos policias, pelo dono da loja e por todos os clientes que ali estavam. Ninguém se feriu além do burro coitado, é lógico. (Estados Unidos, 1990)

* Durante a madrugada um homem teve de parar seu carro após o mesmo quebrar na estrada. Preocupado ele desceu e, caminhando pelas redondezas, ligou para pedir que alguém lhe ajudasse. O problema foi que o cidadão tapou a orelha que não estava encostada no celular com a mão para melhor ouvir a ligação, e não ouviu o trem se aproximar dele, que estava parado em cima dos trilhos. (Estados Unidos, 2002)

* Um rapaz dirigia seu carro quando ouviu as sirenes de uma viatura policial pedindo que ele parasse. Sem pestanejar o jovem acelerou e iniciou uma perseguição por uma rodovia do estado do Colorado. Ainda dirigindo ele sacou uma arma e apontou-a para trás, sem poder virar para observar exatamente onde estava a polícia, afinal, ele estava dirigindo em alta velocidade. Dos quatro tiros disparados dados sobre o seu ombro um acertou sua cabeça, encerrando a perseguição e deixando os guardas de "boca aberta". (Estados Unidos, 2002)

* Três amigos bebiam num boteco quando um deles voltou com uma mina terrestre anti-tanque, que estava em seu quintal por mais de 25 anos. Com o artefato na mesa o trio passou a jogar roleta russa, tomando um trago de bebida e posteriormente batendo na mina. Minutos depois e "boom": não sobrou nem pedaço dos amigos pra contar história. (Camboja, 1999)

* Um assaltante inglês entrou no supermercado e roubou duas lagostas vivas para comer. O problema foi que ele escondeu os animais dentro de suas calças. Não é necessário dizer que os crustáceos utilizaram suas garras para acertar seu genital e impedi-lo de sair da loja consciente. Este é um dos raros casos onde o vencedor do prêmio não morreu, mas mesmo assim extinguiu seus genes (uiii!). (Inglaterra, 2000)

* James Elliot. Motivação: quando o seu revolver calibre
38 falhou, durante uma tentativa de assalto o dublê de assaltante James
Elliot, de Long Beach, Califórnia, cometeu um pequeno erro. Virou a arma
para ver se no cano tinha algo impedindo a arma de funcionar, e
experimentou apertar de novo o gatilho... Desta vez a arma funcionou
perfeitamente...

* O chefe de um hotel na Suíça perdeu um dedo no moedor
de carnes e, depois de ter xingado em uma ou mais das 3 línguas faladas
no país, entrou com um pedido de ressarcimento na sua seguradora. A
seguradora, desconfiando de uma possível negligência no uso do aparelho
enviou um inspetor, que testou o moedor: fez exatamente a mesma operação
e... perdeu um dedo ele também. O pedido de ressarcimento foi aprovado.

* Um homem cujo nome não foi divulgado, ficou retirando
neve da rua com uma pá por mais de uma hora, durante uma tempestade de
neve em Chicago, para poder estacionar o seu carro. Terminado o
trabalho, foi buscar o carro, e voltando ao lugar que tinha preparado
com tanto esforço, encontrou uma senhora que tinha acabado de
estacionar, com a maior naturalidade, no espaço que ele liberou. Como
poderia deixar de dar dois tiros de fuzil no abdômen da mulher?

* Depois de ter parado para tomar todas num bar
clandestino, o motorista de um ônibus no Zimbabwe percebeu que os 20
doentes mentais que deveria levar para um asilo em Bulawayo fugiram.
Tentando esconder sua negligência, foi até um ponto de ônibus e ofereceu
uma carona de graça para as pessoas que estavam esperando no ponto. Foi
até o asilo e entregou os passageiros, dizendo que eram muito perigosos,
e inventavam historias incríveis para tentar fugir.

* Um adolescente americano foi internado num hospital com
graves ferimentos na cabeça, provocados pelo choque com um trem. Foi
questionado sobre como tinha acontecido o acidente e ele explicou para a
polícia que estava simplesmente tentando descobrir quanto podia chegar
perto do trem em movimento antes de ser atingido...

* Um homem entrou num mercado na Louisiana, colocou uma
nota de 20 dólares no balcão e pediu para trocar. Quando o balconista
abriu a gaveta, o homem mostrou uma arma e mandou que lhe entregasse
todo o dinheiro na gaveta. Depois fugiu, esquecendo na pressa, a nota de
20 dólares no balcão... O total que havia na gaveta e que o homem levou
deu 15 dólares...

* Um cara no Arkansas estava tão afobado para tomar uma
cerveja, que resolveu jogar um tijolo contra a vitrine de uma loja, para
roubar algumas garrafas e fugir. Agarrou um tijolo e o jogou com todas
suas forças contra a vitrine. O tijolo bateu e voltou, acertando
exatamente a testa dele, que ficou desmaiado no chão... A vitrine era de
plexiglass infrangível, e a cena foi filmada pela câmera de segurança da
loja.

* Na saída de uma loja em Nova Yorque, uma senhora teve a
bolsa furtada por um homem, que agarrou a bolsa e fugiu correndo. O
balconista chamou rapidamente o 911 e a dona deu uma descrição do homem
muito detalhada. Poucos minutos depois, a policia pegou o homem,
colocou-o na viatura e o levou de volta para a loja. Mandaram o ladrão
descer do carro e ficar parado para a identificação. O ladrão, querendo
colaborar com a justiça, respondeu rapidamente: Sim, senhor policial....
aquela é a mulher de quem tirei a bolsa...

* Na crônica local do jornal da cidade de Ypsilanti,
Michigan, apareceu a notícia de um assaltante que entrou no Burger King
da cidade às 5 horas da manhã apontando uma arma para o caixa, e
ordenando que lhe entregasse o dinheiro. O atendente explicou que não
poderia abrir o caixa sem um pedido. O homem então pediu cebolas fritas
e o atendente explicou que não poderia servir cebolas no café da
manhã... O assaltante, frustrado, foi embora..

* Um homem tentou roubar gasolina de um trailer
motorizado estacionado numa rua em Seattle, mas encontrou muito mais do
que estava procurando... A polícia chegou no lugar e encontrou o homem
dobrado, no chão, vomitando sem parar... No relatório da polícia está
explicado que o homem ao invés de colocar a mangueira no tanque e chupar
para puxar a gasolina, colocou a mangueira no tanque da privada química
do trailer, chupando com muita vontade... O proprietário do trailer se
recusou a fazer o B.O. contra o aspirante ladrão, declarando que nunca
tinha dado tantas risadas na vida...

Para mais visite o site do Darwin Awards.